Aba exclusiva do Colab para denunciar preço abusivo de combustível

A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), através da Secretaria de Comunicação Social (SCS), articulou junto ao Colab a oferta de uma aba exclusiva no aplicativo para cidadãos denunciarem a prática abusiva na relação de consumo de combustível. Todo cidadão terá, ao alcance do seu smartphone, o poder de participar ativamente da fiscalização de compra e venda de combustíveis, caso o preço esteja muito elevado.

Para o secretário da pasta, Michael Guedes, a atuação dos cidadãos pelo aplicativo pode potencializar o alcance do trabalho que está sendo realizado pela Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) e do departamento de vigilância da Secretaria de Saúde: “Nós estamos vivendo um momento crítico nacionalmente e precisamos contar com o apoio do cidadão para manter a ordem e minimizar os impactos à nossa comunidade. O cidadão que denunciar pelo Colab será um grande parceiro da cidade nessa crise de combustível. Essa estratégia pensada aqui em Juiz de Fora é inédita no país”.

O superintende do Procon, Eduardo Schroeder, destaca que o principal fiscal é o cidadão: “Os fiscais do Procon estão nas ruas, mas o consumidor é nosso principal agente. Além dos telefones 3690-7610 e 3690-7611 e das formas presenciais, o cidadão agora tem a aba do Colab como um aliado rápido e eficaz para registrar as denúncias”. 

O aplicativo Colab, premiado internacionalmente pela ONU, permite que o cidadão fotografe, categorize e ainda localize cada demanda. A aba exclusiva proposta pela Secretaria de Comunicação Social da Prefeitura de Juiz de Fora e desenvolvida pelos responsáveis pelo aplicativo foi denominada “Crise de combustível – Prática abusiva”. Através dessa aba, o usuário pode denunciar postos cujo o preço praticado gere desconfiança do cidadão de que o dono do estabelecimento esteja se beneficiando da crise nacional de desabastecimento de combustível.

Ao abrir o app, o usuário encontrará a categoria “Preço abusivo de combustível” dentro da parte relacionada à “Estabelecimento Irregular”. O acesso intuitivo da ferramenta contribui para a facilidade e rapidez da conclusão da denúncia. Cada demanda gera um número de protocolo que pode ser acessado durante o atendimento do Poder Público. Em Juiz de Fora, a rede social do Colab reúne mais de 2.800 usuários e mais de 4.400 fiscalizações. Cada contato do usuário chega direto à equipe responsável da Prefeitura, o que agiliza o contato e a resolução.